Menu

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Balanço geral de 2013

Nem precisamos dizer que 2013 é um ano que ficará para sempre em nossas memórias. Foram 26 países, 96 cidades, 494 posts publicados e muita alegria.

Feliz 2014 pra todo mundo!
Não estivemos em nenhuma situação de perigo. Não passamos por nenhum perrengue. Tivemos alguns aborrecimentos (nos trancamos para fora da casa em Istambul e o proprietário demorou duas horas pra aparecer e resolver o problema; o caixa eletrônico engoliu vários cartões - e na Alemanha ele não devolveu), mas nada que um pouco de paciência (e uns suspiros de resignação) não resolvessem.


terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Feliz Natal!

Apesar da folga de final de ano, não podíamos deixar de desejar um feliz natal a todos leitores do blog, nossos companheiros de viagem de 2013. Que Papai Noel traga muitas viagens para todos nós. Aqui, estamos na torcida para que o bom velhinho nos traga passeios sensacionais no ano que vem. Afinal, nós o encontramos lá na Lapônia e entregamos em mãos nosso pedido para 2014.

Boas festas e um ótimo 2014 para todos!

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Destinos 2013: Malta

Adorei Malta. Foi tudo que eu imaginava e muito mais. E também um destino de sonho que eu imaginava que seria difícil de alcançar. Afinal, com tanto lugar no mundo, ir à Malta não seria fácil (como é uma ilha, é meio fora de mão, e dias de férias são sempre poucos para tudo que a gente quer fazer).

Achei essa foto super National Geographic.

Mas, com o sabático, estamos podendo conhecer muitos lugares incríveis e por preços bem camaradas.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Destinos 2013: Portugal

Passamos por 27 países diferentes este ano. 21 deles eram inéditos para mim. 

O primeiro país do ano foi Portugal. A gente já conhecia. Tínhamos passeado por lá durante o verão de 2007, em uma viagem com os pais da Lud. 

Nossa segunda pátria.
Fomos 3 vezes ao país este ano. Combinado, as 3 passagens somaram 21 noites. Só dormimos em Lisboa e em Faro. Passeamos por Cascais, Sintra e Gavião. 

Nosso custo médio ficou em 33,78 euros por pessoa por dia. E já adianto que foi um dos melhores do ano. Portugal é um destino muito barato comparado com os demais países europeus. E olha que este valor engloba estadia, alimentação tanto em casa quanto na rua, atrações turísticas e o transporte público. 

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Destinos 2013: Espanha

Ou melhor ainda, Valência. Foi a única cidade espanhola em que estivemos neste ano. Passamos uma semana por lá, no mês de maio.

Valência é a terceira maior e mais importante cidade espanhola, logo depois de Madrid e Barcelona. Como a gente já conheceu em viagens passadas relativamente bem a Espanha, acabamos optando por ficar apenas em Valência dessa vez. Mas, ao ir embora, deu muita vontade de voltar para o país e passar mais tempo por lá. Quem sabe no próximo ano?


Gostei muito de Valência. Tem altas atrações top, como seu fantástico zoológico (o Bioparc), o melhor que já fomos até hoje, e seu incrível oceanário. Além disso, tem um cinturão verde que atravessa a cidade - os Jardines del Turia, um parque sensacional construído no lugar onde ficava o rio Turia, que foi desviado. Um destino nota 10.

sábado, 14 de dezembro de 2013

Super guia de bagagem de mão do ano de 2013

Incrível como a regra para mala despachada e/ou levada a bordo varia de empresa para empresa. E como na maior parte do ano voamos de empresas low-cost que cobram para levar bagagem despachada, muitas vezes optamos por viajar apenas com duas malas pequenas para não precisar pagar nada. Mas algumas vezes não teve jeito e tivemos que despachar.

O despacho de mala mais caro de todos nas low cost foi na Ryanair: 30 euros. Isso porque não compramos na hora da compra da passagem e sim depois. O mais barato da Wizzair: 10,38 euros por até 32 kg de bagagem. Das low cost, a Wizzair é muito boa. Preços lá em baixo e extras também nada extorsivos. Outra muito boa foi a Pegasus.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Nossos voos em 2013

Foram 345 dias seguidos viajando pelo mundo. No total, voamos 41 vezes, o que dá a média de um voo a cada 8,6 dias. E só tivemos um episódio de fortes turbulências: o voo final de Lisboa para BH. Em relação a atrasos, só dois atrasaram muito.

O primeiro foi nosso voo de Frankfurt para a Ásia, que demorou mais de 7 horas para sair, por causa de uma tempestade de neve. Com isso perdemos a conexão em Abu Dabi e tivemos que pegar mais dois voos: primeiro para Doha, depois para Kuala Lumpur. A sacanagem maior foi não ter voado a segunda perna pela Etihad e sim pela Quatar. Olha, pelo menos nos voos que fizemos, a Etihad ganha da Quatar de 1000 a 0. 

O outro atraso sério foi pela Ryanair, de Frankfurt para Montpellier. Até então ela tinha sido pontualíssima. Fomos vítimas da estatística: a média de chegada na hora da Ryanair é 90%, e como era nosso décimo voo... O problema é que tínhamos hora marcada para pegar o trem para Narbonne. Foi uma correria louca, mas no final deu tudo certo. O trem também atrasou (foi o primeiro trem que pegamos na França que chegou depois da hora!) e não precisamos dormir na rua.

Uma das melhores cias aéreas de 2013

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Wiesbaden, último destino do ano

De volta à Frankfurt de Ivalo, resolvemos ir para Wiesbaden, cidade bem perto de Frankfurt, para curtir os últimos dias antes de voltar ao Brasil.

Nossa ideia original era retornar a Baden-Baden, um dos primeiros e melhores destinos do ano. Acabamos optando por Wiesbaden por ser uma cidade mais próxima e por não conhecermos ainda. Ela também tem várias termas. (Dica: se a cidade alemã tem "bad" ou "baden" no nome, é porque nela tem fontes termais.)

O céu ficou lindo no final do dia.
Fora 4 ótimas noites. O apartamento era excelente e a cidade não decepcionou. Chegamos na quinta-feira de tarde e fomos passear pelo centro. Muitas ruas legais só de pedestre. Fora que a cidade tem uma arquitetura bem legal, com prédios muito bonitos e bem diferentes de quase tudo que já vimos.

Achamos bem diferente a arquitetura da cidade.
A feira de natal da cidade também nos agradou. É muito organizada e não  estava lotada demais, ao contrário da de Frankfurt. A decoração de natal estava bem bonita, com muitas luzes.

Também passeamos muito na sexta feira. O dia amanheceu com cara de chuva e neve e realmente caíram uns flocos no decorrer do dia. Fez bastante frio, com muito vento. A sensação térmica estava abaixo de zero!

Andamos mais de 8 quilômetros pela cidade. A ideia era ir também às termas, mas depois que voltamos para casa e almoçamos, não conseguimos juntar forças para sair mais. Ficamos pensando que a terma de Baden-Baden tinha sido tão legal porque tinha neve lá fora - e gente conseguia ver. Em Wiesbaden não havia nevado ainda, logo...

Isso até segunda-feira, quando voltamos para Frankfurt. Passamos o resto da sexta, o sábado e o domingo em casa. É que ela estava tão quente, tão confortável, com uma cama gigantesca, tv enorme no quarto para vermos filmes e seriados (ligamos o nosso hb usb nela)... Só saímos para ir ao supermercado - que ficava no térreo do prédio!

Sim, foram 3 dias de ócio e conforto total. Agora, é terminar de fazer as malas e voltar para o Brasil. Pães de queijo e guaraná, nos aguardem! Amanhã estaremos dormindo em Belo Horizonte.

Um belo fim de dia.
Uma das barracas de natal da feira.
A loja cuja vitrine é um relógio gigante.
Entardecer em frente ao cassino.
Mais um pouco da feira de natal. 
Adoramos esta igreja.
A frente é tão diferente da parte de trás.
O parque que fica atrás do cassino.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

Nossas viagens de trem pelo ano de 2013

Viajamos e muito de trem este ano. No total, foram aproximadamente 10 mil quilômetros. De trem, passamos e passeamos por Portugal, Alemanha, Malásia, Singapura, Vietnã, Inglaterra, França, Bélgica, Polônia, Noruega, Itália e Turquia. No total, foram 63 viagens. 

O trem para Flam na Noruega.
Foi o meio de transporte que mais usamos. E ainda bem. É sem dúvida uma das melhores maneiras de viajar. Acho que só perde para as super balsas que a gente pegou este ano. 

Três desses trens foram noturnos.

sábado, 7 de dezembro de 2013

Dicas para ver a aurora boreal

Olha, é difícil ver a danada. Muitas variáveis tem que combinar para você se maravilhar com ela. E põe maravilhar nisso. A aurora é uma coisa do outro mundo de linda.

No nosso livro 4, relatamos como foi nossa aventura para ver uma das coisas mais lindas que já vimos na vida. A aurora é sensacional. Se tiver a chance de vê-la, vá. Não irá se arrepender.



sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Ivalo: nossa aventura pela Lapônia

O último destino do ano será novamente a Finlândia. Vamos para a região da Lapônia no final de novembro. Ficaremos uma semana por lá, curtindo muito frio, muita neve (esperamos) e, o mais importante, "caçando" a aurora boreal.

Acharam Ivalo no mapa? Tá lá no alto da Finlândia. Reparem na linha do círculo ártico. Ivalo fica acima dela!
Sempre foi um dos meus sonhos ver a aurora. Estou hiper animado. Mas como sei que é muito difícil conseguir ver a dita cuja, vamos ficar uma semana inteira por lá. Pelo mesmo motivo, vamos com a expectativa de apenas relaxar, curtir a sauna da nossa cabana, brincar na neve, tomar nossas vodkas compradas na Lituânia, ler livros e, se der, ver a aurora. Ela será um plus. E que plus...

Ivalo: preparação para o frio polar

No fim de novembro de 2012, chegou a fazer menos 30 graus de sensação térmica em Ivalo. Acho que essa temperatura pode ser considerada como bem fria até por mim que gosto de um friozinho.

Hoje já está fazendo - 17! Imagina do dia 26 em diante
Como o maior objetivo da viagem envolve ficar do lado de fora da nossa cabana, expostos ao tempo literalmente polar, resolvemos tirar o escorpião do bolso e comprar roupas apropriadas. Até porque não podemos deixar o escorpião morrer congelado. Precisamos dele para controlar a grana dos 3 anos de sabático.


Voando até Ivalo

Para chegarmos a Ivalo pegamos dois voos: Frankfurt para Helsinki e de Helsinki para Ivalo. Tudo tranquilo e dentro dos horários. O voo para Ivalo contou até com a ótima vista de uma Finlândia congelada e um muito bacana sol de meio dia.

Helsinki é bem cara. E o aeroporto é bem longe da cidade. Optamos portanto por dormir neste hotel. Afinal, a gente ficaria apenas a noite por lá e já conhecíamos a cidade. O hotel é perto do aeroporto, dá para ir de ônibus gratuito que faz a rota terminais-estacionamentos remotos, e ainda tinha microondas no quarto e uma cozinha equipada com fogão e forno.

Porta do hotel. Às cinco da tarde já estava assim, parecendo meia-noite. 

Ivalo: curtindo o frio... do outono

Sim, ainda era apenas outono quando chegamos em Ivalo. O que não nos impediu de pegar temperaturas super baixas e muita, muita neve.

Olha, mesmo que não existisse a aurora ou a chance de vê-la, a semana que passamos em Ivalo foi sensacional. Nunca ficamos tanto tempo em um lugar com tanta neve e tão frio. Falando em frio, ele não foi nenhum problema. Nossas roupas foram muito apropriadas. Talvez apenas luvas ainda mais quentes fosse melhor!

A experiência dos dias super curtos foi muito interessante. Era incrível como por volta de 4 da tarde a gente já achava que era quase 10 da noite e queria dormir. Como nosso hotel era muito afastado de aglomerações urbanas, as noites eram realmente escuras, o que nos permitia ver um céu maravilhoso e super estrelado, como eu nunca tinha visto antes. Ver estrelas cadentes não foi nada difícil. Pelo contrário, vi várias. 

Nos divertimos e muito na neve. Passeamos pelos lagos congelados, fizemos (ou tentamos fazer!) boneco de neve, nos jogamos na neve super fofa e muito alta, fizemos anjos e brincamos de trenó. Até tomar sauna e depois sair só de short e camiseta na neve eu fiz (essa parte foi só eu e a Isa tivemos coragem). E foi muito legal. Indescritível pisar na neve com os pés descalços e deitar nela quase sem roupa. Surreal a experiência. 

Bom, e a aurora? Sim, nos vimos. Mas fica para o próximo post. 

O horizonte ficava lindo por volta de meio dia. O sol não chegava a sair de trás dele. 

Aurora Boreal: nós vimos!

Tenho boas e más notícias sobre a aurora. A boa é que conseguimos vê-la quatro vezes: em duas ela estava bem fraca, em uma, razoável e na outra, intensa e maravilhosa.

A má notícia é que só aprendi a fotografar a aurora depois do melhor dia. Portanto, as fotos que tenho não são as mais belas do mundo.

A aurora foi tudo que eu esperava e ainda mais. No dia em que ela estava mais forte, cobriu praticamente o céu inteiro. Perto do horizonte, então, parecia uma cortina de luz verde.

As fotos são de dias em que a aurora estava fraca. Dá pra imaginar, então, o show que foi na melhor acasião...
Aurora boreal sobre o lago congelado.


Ivalo: nossa hospedagem

Ficamos 7 excelentes noites em um hotel bem afastado da minúscula cidade de Ivalo. Na verdade, o hotel bomba mesmo é no verão: tem várias cabanas à beira do lago e espaços preparados para barracas e trailers.

No inverno, todas estas opções estavam fechadas. Abertos, só os 4 quartos duplos e os 5 chalés. A gente ficou em um chalé. E que chalé!

Nosso delicioso chalé. Foto tirada ao meio dia, quando tinha a maior claridade do dia. 
Ele é gigante: mais de 60 metros quadrados. Tem dois quartos, cada um com duas camas de solteiro. Na sala, tem mais uma cama de solteiro, além de um sofá em L em que dá para dormir mais uma pessoa (bobear até duas).

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Destinos 2013: Escócia

Da Irlanda do Norte pegamos a combinação de balsa mais ônibus para chegarmos em Glasgow. Lá ficamos duas noites e depois seguimos viagem, também de ônibus, para Edimburgo.

Glasgow achamos besta e muito, muito fria. Acho que foi a cidade que menos gostamos no ano. O ponto alto foi da visita o hotel, confortável e quentinho (chegou a 11 graus negativos lá fora!).

Se bobear, a estação de trem em frente ao hotel foi um dos prédios mais bonitos e interessantes que vimos em Glasgow. 
Edimburgo achamos linda, sensacional... e também muito, muito fria.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Destinos 2013: Irlanda do Norte

Foram só três noites em uma época super fria, com tempo sempre nublado ou chovendo. Mesmo assim, amamos a capital da Irlanda do Norte. Sério, ficamos apaixonados por Belfast. Sabe aqueles lugares que você vai com a cara, que te agrada e bate com seu gosto? Foi assim com a gente em Belfast.

Rua no centro da cidade com o prédio da prefeitura ao fundo. 
Não sei explicar muito bem.

domingo, 1 de dezembro de 2013

Nossa caçada pela aurora, primeira parte

Para tentarmos ver a aurora, precisávamos ir para algum lugar bem ao norte do mundo. E para complicar, não basta ser ao norte em termos de latitude. Tem que ser ao norte em relação ao polo magnético. Isso complica um pouco as coisas na Europa. Facilita para quem está nos EUA e Canadá.


sábado, 30 de novembro de 2013

Comparativo de custo de supermercado na Finlândia

A gente esteve em Helsinki no final de agosto deste ano. Agora, no final de novembro, passamos por lá uma noite a caminho de Ivalo. Fizemos compras em supermercado em Helsinki em agosto, no supermercado que fica no aeroporto em novembro e também em um supermercado na cidade de Ivalo, mais de 1200 km ao norte de Helsinki, bem na Lapônia.

No supermercado do aeroporto, os preços são superiores aos do supermercado da cidade. Era de se esperar. Mas não achei muito mais caro não. Sabe os preços que estamos acostumados a ver em aeroportos brasileiros e em outras países do mundo?

Já em Ivalo, os preços me surpreenderam. E muito. Vamos lá:

Coca Cola Zero genérica 1,5 litros: 1,09 euros
Pacote com 3 sacos de pipoca de microondas: 1,09 euros
Atum: 1,49 euros
Presunto 250 g: 3,11 euros
Iogurte 0,29 euros
10 ovos 1,69 euros
Queijo gouda 400 g 3,49 euros
4 pães de sal para assar em casa 1,99 euros
Pão de forma 550 g2,09 euros
Cream Cheese Philadelphia
Salsicha 300 g 1,95 euros
Torta de Sorvete Toblerone - 6,19 euros
Pizza Peperoni Dr Otker - 2,89 euros
Quilo de maçã royal gala - 1,59 euros
Pacotão de batata chips - 2,99 euros
Pacote de batata Lacys - 1,79 euros


sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Destinos 2013: Irlanda

De Londres, antes de irmos para o interior da Inglaterra, visitamos cidades de outros países. Começamos por Dublin, na Irlanda.

Ficamos 8 noites no total por lá. As primeiras quatro noites, em uma casa só para nós, muito boa, com lareira e tudo mais. Foi uma delícia ter uma casa super quente na época mais fria do ano para nós até então.

Nossa casa era super confortável. A lareira, um mimo que usamos e aproveitamos muito. 
Depois, nos mudamos para o quarto da casa de uma família búlgara.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Destinos 2013: Inglaterra

De volta do sudeste asiático, passamos 3 rápidos dias em Frankfurt e de lá voamos para Londres. Mais um destino inédito para mim mas que a Lud já conhecia.

Foram duas semanas que passamos por lá. 7 noites em Londres, 2 em York, 2 em Cambridge e 2 em Bath. A última noite foi dentro de um ônibus indo para Paris. Entre Londres e as cidades do interior do país fizemos um desvio pelas Irlandas e Escócia que contaremos em seguida.

Já estou até com saudades. 

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Destinos 2013: Camboja

Continuando nossa retrospectiva dos destinos de 2013, o Camboja foi nossa última parada no sudeste asiático. Foram apenas 5 noites por lá, com custo médio de 31,50 euros por dia por pessoa. Barato, mas perdeu para o Vietnã e para a Malásia. Vale lembrar que no Camboja a gente acabou comendo só em lugares ocidentalizados, o que elevou bastante o custo da alimentação. Se fôssemos comer comida  local, o preço teria desabado. E olha que só gastamos 9,5 euros por pessoa por dia de comida.

Palácio em Phnom Penh.

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Estudar no exterior: um mês de francês na França, balanço final

Estudei francês por quatro semanas em Strasbourg, na França. A escola foi a Alliance Française e o curso foi o geral intensivo (três horas por dia, todo dia de semana). Carga horária total: 60 horas. Custo: 545 euros, mais 50 euros de inscrição.

Pontos positivos:

1) como eu acabei em uma turma mais avançada do que eu devia, em nenhum momento eu fiquei entediada - muito antes pelo contrário!

2) os colegas: duas espanholas, uma mexicana, uma colombiana, um argelino, uma chilena, uma cazaquistanesa, uma coreana do sul, um japonês e um vietnamita. Todo mundo dava sua opinião e falava sobre a situação de seu país, o que deixava a aula superinteressante.

3) o professor: tinha muita didática e muito conhecimento.

sábado, 23 de novembro de 2013

Enchendo o papo em Strasbourg

6 euros por dia e por pessoa foi nosso custo de alimentação em Strasbourg durante exatos 30 dias. E olha que comemos e bebemos bem demais por aqui. Vamos embora com a cidade não só no coração mas também no estômago.

Praticamente todas as refeições foram feitas em casa. Na rua só comemos um típico bretzel (é um pretzel, mas começa com b) e compramos uma fatia de uma das melhores tortas que já comemos na vida. Em casa nos esbaldamos com compras de supermercado - e principalmente com os pratos da Picard.

Para terem ideia de como passamos bem por aqui, nós andamos comendo e bebendo:

Fondues, acompanhados de vinho (nacional, claro). A baguette é sempre a premiada. 
Nhoque que nós mesmos preparamos +  Crémant de Limoux (um espumante
priminho da champagne). Quase tão bom, e o preço é uma fração.  
Mais um vinho da região e uma cerveja local. 

Torta de limão e sorvete de caramelo! E um dos nossos fondues.
Ah, a Picard. Aqui em Strasbourg experimentamos muitos produtos diferentes, e aprovamos todos. A variedade e a qualidade são de cair o queixo. Alguns são apenas gostosos (o que já é fantástico, já que está falando de comida congeladas). Outros são divinos. E nada é ruim.

Experimentamos linguiças de Toulouse, purê de batata com presunto, com tomate, com azeite, quiches, torta de queijo, um prato chinês (camarão empanado), prato vietnamita (nems de legumes e de carne de porco), massas italianas, sopas...

O croissaint de ouro.
Estes pratos individuais de microondas ficam prontos em 5 minutos. 
Comemos crepes e galetes. Pena que não tirei fotos das galetes.
Até fritas de forno experimentamos desta vez. 
De outro mundo de bom. 
Eu adoro este risotto de queijo.
Experimentamos e aprovamos o croissaint para assar em casa da Picard. 
Até a pizza congelada da Picard é gostosa. 
Queijos deliciosos e baratíssimos do supermercado.
O mini crepe turbinado com uma fatia de bacon defumado. 
Macarons da Picard. Perdem para a versão das patisseries. Mas não são de se jogar fora, não. 
Pinot Noir da Borgonha.
A torta de sorverte de chocolate que compramos para comer com a Isa durante a visita dela. Sensacional!
E essa fatia de torta comprada em uma confeitaria? Custou caro mas foi uma das melhores que comemos na vida. 
E a pasta de speculoos? Por que só fomos descobri-la no fim do ano? 
Um delicioso quiche lorraine. 
E esta sobremesa da Picard que a Isa achou? Que coisa de outro mundo!
Foto da caixa: para registrar para a posteridade e nunca esquecer. E poder comprar de novo ano que vem, é claro. 

Nossos típicos almoços. Ok, este não foi tão típico porque tinha vinho.
Os congelados da Picard. 
Uma típica ida ao supermercado: suco, cerveja, iogurtes, ovos, cereal, presunto, queijo, maças, clementinas, salada, pratos congelados, chás, cream cheese, atum, mel, pão de forma e as torradas suecas. 
Em termos de supermercado, Strasbourg está muito bem servida: tem Leclerc, nosso preferido, Monoprix, Simply, U Express, Auchan, Norma e Coop. O Leclerc é disparado o melhor, tanto em preço quanto em variedade. Ainda mais o bonitão que fica no centro comercial Rivetoile.