Menu

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Experiência nova: patinando no gelo

Domingo fomos patinar no gelo. O Leo estava animado, mas eu tinha visões sombrias de pessoas se esborrachando no chão.

Porta do estádio. 3 pistas cobertas mas a externa enorme
A irmã I. tem patinado com frequência e está profissa no assunto. Elas nos levou a um centro de patinação gigante, com quatro pistas diferentes e aluguel de patins. Como hoje é domingo e último dia de férias, o lugar estava lotado.

É muito legal ver crianças patinando - umas aprendendo, outras com muita prática. Já os jovens e adultos costumam dominar a arte, mas às vezes apareciam uns dando os primeiros passos no gelo.

Como a gente! Eu já experimentei (tentar) patinar no gelo, quando criança, umas duas vezes (o BH Shopping às vezes armava um rinque); o Leo nunca. Minha lembrança não é muito boa: me recordo de ter caído umas vezes, e de ter ficado agarrada nas muretas da pista. Então eu confesso que não estava muito otimista sobre a minha performance.

La-le-li-lo Lu patinadora
Só que, dessa vez, tinha a irmã I. para dar instruções ("joelhos flexionados! Corpo pra frente!"). Resultado: foi mais fácil do que eu esperava. Depois de umas voltas grudada nas muretas da pista, comecei a me animar e a ganhar confiança. Curti! No final, dei até uma volta na pista aberta, que não tem muretas (me achando muito audaz).
Pista externa com a quadra de hockey coberta no meio
Já o Leo não se deu tão bem com os patins. Parece que o centro de equilíbrio dele é meio alto para a prática. Depois de dois tombos, ele desistiu e foi pro banquinho tirar fotos. A primeira queda foi causada por um menino correndo que trombou com ele. A segunda foi sozinho mesmo, e daquelas que demoram uns 10 segundos para a pessoa ir ao chão.

Finalmente um esporte no qual eu me saí melhor que o Leo! É que ele é sempre muito superior nas atividades físicas. Se a gente for ver, patinadores artísticos e jogadores de hóquei são pequetitos, né? (A turma da ginástico olímpica também, mas sem chance pra mim.)

Apesar dos tombos, o Leo aprovou a experiência. No final, ele conseguiu voltar da pista externa para a interna (um pedaço longo sem apoios) sem cair e sem desequilibrar. Segundo ele, foi divertido. Afinal, era um sonho que ele tinha.

6 comentários:

  1. Até quando vocês ficam em Frankfurt, Lud? Seria bacana conhecer vocês e mostrar um pouquinho mais de Frankfurt enquanto a sua irmã trabalha... ;-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Camila, eu quero conhecer pessoas em Frankfurt! Me inclua na programacao! : ))))

      Excluir
    2. Camila, vamos ficar só até segunda cedo quando vamos pegar um voo para Kuala Lumpur. Mas em fevereiro a gente volta.
      Amanhã vamos ficar por conta do nada, só lavando roupa e preparando malas. Fim de semana vamos passear com a irmã da Lud pela região. Estamos pensando em ir até Luxemburgo e voltar. Alguma dica?

      Excluir
  2. Oi, Leo
    Vocês já foram a Colônia? Fica a uma hora e meia de trem daqui de Frankfurt e a Catedral fica ao lado da estação. Tem um trem mais barato - que não é o ICE - e que vai pelo vale do Reno, dá pra ver os castelos da região. Não recomendo ir pra lá de carro pq a viagem de trem é bem mais bacana, de carro não dá pra ver o vale do Reno tão bem como no trem.
    Mainz tb é uma boa, cidade natal de Gutenberg, com um museu bacana e muita história. No site da cidade tem um pouco sobre o que vale a pena ser visto e sugestões de roteiros a pé: http://mainz.de/WGAPublisher/online/html/default/mkuz-5u6gql.en.html

    Luxemburgo eu ainda não conheço, tá na lista das próximas viagens!

    No caminho entre Frankfurt e Luxemburgo tem a cidade mais antiga da Alemanha, Trier. A grande atração da cidade é a Porta Nigra (os alemães são absolutamente fascinados por ruínas romanas, incrível) e a praça central tem prédios antigos, coloridos e muito bonitos. A catedral também é bem antiga e vale uma visita.

    Que mais? Na direção oposta tem Darmstadt, que fica a uns 30km de FFM tem vários prédios e casas em Art Nouveau (conhecido como Colônia dos Artistas), a Hundertwasserhaus (não sei se vcs conhecem, mas é um prédio-conceito muito interessante) e Mathildenhöhe (colina onde tem uma capela ortodoxa).
    A 100km de Frankfurt tem o Museu de Tecnologia de Speyer, que tb é um passeio legal e fica na mesma direção de Darmstadt.

    Isso foi o que me ocorreu assim, rapidinho. Em fevereiro tem carnaval, o que é um capítulo à parte... Existe desfile na rua e os participantes, que desfilam ao som de marchinhas que parecem militares, jogam doces pra plateia. Em cidades menores, em especial na região da Floresta Negra, tem tradições interessantes como o desfile com máscaras de madeira assustadoras, pra espantar os demônios do inverno. Bruxas, que bagunçam muito, bonecos de palha com guizos e uma série de outros personagens. Idade Média pura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camila, quanta informação incrível. Ah, e hoje, sem a irmã da Lud, o passe para grupo ficou mais barato para a gente sim. Valeu demais pela dica.
      A gente está indo embora agora mas estaremos de volta no final de fevereiro. Está longe, mas o que acha da gente tentar combinar algo para o dia 28 de fevereiro?
      Qualquer coisa entra em contato direto com a gente no leonardo.carnaval@gmail.com

      Beijos e mais uma vez obrigado pelas dicas,
      Leo e Lud

      Excluir
  3. Oi, Leo! Oi, Lud!
    Espero que vocês tenham um ótimo fim de semana e que a viagem seja inesquecível! Vamos nos ver na volta sim! :-D

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...