Menu

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Viagens para o exterior

Nossa primeira viagem para o exterior sozinhos, sem família, foi para Aruba, no milênio passado. E foi uma viagem de turma: uma semana de praia para comemorar a formatura na faculdade do final do ano. Na época, 1 dólar custava menos que 1 real, e começamos a juntar dinheiro mais de 2 ano antes. 

Depois dessa, viemos para Paris em 2001. O objetivo era comemorar a aprovação da irmã D. e do futuro cunhado M. em concursos públicos - ou seja, só teriam férias depois de um ano. Foi nesta viagem que o bichinho das viagens me mordeu. Fiquei viciado. 

Eu achava que Paris seria besta. Que a fama era indevida. Que todo mundo exagerava muito. Como uma cidade poderia ser tão fantástica como se dizem? Para mim seria apenas mais uma cidade. Como eu estava enganado...

Eu não falava um A de francês. Agora falo só um B. Mas tinha a Lud comigo (e ainda tenho!). Somos uma excelente dupla: ela resolve toda a questão de comunicação (até nos tirar de uma estação trancada de metrô em Paris ela já nos tirou), e eu garanto qualquer necessidade de locomoção e localização geográfica. Sou realmente um GPS humano. Veneza que o diga.

O ponto que quero chegar é sobre os medos de viajar. Confesso que um pouco do receio que eu tinha em 2001, ao viajar para Paris, era sobreviver. Afinal, já não gosto de falar, de perguntar, de depender dos outros. Em outra língua, então?

Mas não acho que isso deva ser uma barreira para que você comece suas aventuras. Existem destinos internacionais muito bons para se começar a viajar para fora do Brasil. Os primeiros são nossos vizinhos: Argentina, Chile, Uruguai... 

Possuem a vantagem de serem próximos, terem excelente custos de viagem e ótimas opções de destino. E são países que estão bem à frente do Brasil no quesito recepção de turistas e infraestrutura turística. (Na verdade, ainda não conheci um país que receba mal os turistas. O que pode dificultar a situação do turista brasileiro é que ele é muitas vezes mal-educado. E má educação é combatida com mais má educação fora do Brasil...).

Os países latinos tem outra vantagem para o viajante: não precisa de passaporte e é fácil fazer a imigração. Nunca ouvi dizer de um brasileiro barrado ao tentar entrar em Buenos Aires! E a língua não é uma barreira tão grande. A gente consegue entender bem nossos vizinhos portenhos. Eles já têm uma dificuldade maior... mas nada que um bom portunhol não resolva. (A teoria é que português tem mais fonemas - sons - do que espanhol. Então, a gente compreende o que eles dizem, mas elas não conseguem perceber a diferença entre "pão" e "pau", por exemplo.

Outro destino sensacional para começar aventuras internacionais é Portugal. E aqui as vantagens continuam sendo praticamente as mesmas: língua não é problema, e custo também não. (Sério, é mais barato do que muitos destinos no Brasil). O maior custo será a passagem aérea, mas, como Portugal tem voos direto para várias cidades do Brasil, comprando com antecedência e fora de época, conseguem-se bons preços. 

Imigração também será tranquila. Afinal, você e o funcionário da imigração falam a mesma língua; os documento que você apresentar ele vai conseguir ler. E os portugueses são muito bem treinados e educados. Estamos impressionados com a qualidade do atendimento por aqui. Da moça da loja de sorvetes  explicando feliz que o segundo pote tinha desconto de 50% à bilheteira do metrô perguntando se as 6 passagens eram para um cartão de transporte só mesmo, pra gente não fazer bobagem. Atendimento notal mil. 

As vantagens de Portugal sobre os países vizinhos do Brasil são a quantidade de atrações turísticas e a história, muito ligada à nossa. E Portugal pode estar em crise, mas não é nada parecido com as crises com as que crescemos no Brasil nas décadas de 80 e 90. Tudo por aqui está superarrumado, o transporte funciona muito bem e a infraestrutura turística está anos-luz à frente da nossa. 

Fica a dica: está querendo se aventurar fora do Brasil pela primeira vez? Portugal tem tudo para ser o seu destino. Não vai se arrepender. 

4 comentários:

  1. E educação é universal, né Leo? As chances de você ser mal tratado depois de ser educado diminuem drasticamente.
    E um bonjour, um gracias, um ciao abrem portas. Não é preciso muito, é só dar uma decoradinha! ;)
    Bia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Bia. É um pecado mortal fora do Brasil entrar em algum lugar sem cumprimentar as pessoas que trabalham nele.

      Excluir
  2. Portugal já ta na minha lista!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada dia estamos gostando mais de Portugal.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...