Menu

terça-feira, 22 de outubro de 2013

Como chegar a Éfesos: indo do aeroporto de Izmir para Selçuk

Se você quer conhecer Éfesos, uma cidade greco-romano muito bem preservada (dizem que só perde pra Pompeia), tem de escolher uma das várias cidade da região como base.

A gente escolheu Selçuk, a mais próxima (tão próxima que dá pra ir a pé).

Pra chegar a Selçuk tem de fazer baldeação. Nós pegamos um voo de Kayseri, na Capadócia, para Izmir, no Egeu. Dali pra Selçuk são mais 70 km de estrada.

O nosso hotel oferecia transfer por 40 euros, mas dessa vez descobrimos que dava pra usar transporte público. Foi um pouco complicado, por causa da falta de informação em inglês na estação de trem, mas chegamos direitinho, e quem ler este post também vai chegar.

Chegando ao aeroporto de Kayseri, siga as placas que indicam a estação do metrô. É, na estação passam metrô E trem, mas ninguém te conta (eu e o Leo íamos andando e perguntando, e o povo olhava pra gente como se fôssemos doidos. Ou bobos.)

São uns 10 minutos de caminhada por corredores cobertos e escadas rolantes. Seguindo as placas (de metrô) não tem erro.

A placa é essa aí.



Chegando na estação, tentamos comprar as passagens na máquina de tickets, mas quando ela passava para a versão em inglês, parava de funcionar. Então, entramos na fila e compramos com os atendentes. Aí é que descobrimos que "Selçuk" se pronuncia como "Seltchuk" (ou algo parecido), mas conseguimos nos fazer entender. Cada passagem custou 4,50 liras turcas (uns 5 reais).

Tinha uma plataforma de cada lado. Perguntamos qual era a nossa, e nos indicaram a que ficava à direita. Nessa hora a passagem ajudou, porque nela estava escrito o nome da cidade. Então a gente mostrava a passagem, fazia cara de interrogação, e as pessoas entendiam.

Na plataforma, NENHUMA informação. Minto: tinha uma placa mostrando a rota do (hoje sabemos) metrô. Na placa não tinha Selçuk. Então toca a incomodar turcos inocentes - que não falavam inglês - pra confirmar que estávamos no lugar certo.

Enigmática placa.
Na passagem tinha a hora do trem: 18:39. O que passou às 18:39, no entanto, foi um veículo com cara de metrô de superfície. Eu já ia embarcando, toda contente, quando vi um outro casal de turistas conversando com um local e dando um passinho pra trás. Fui confirmar com eles e descobri que não era mesmo o trem que a gente queria.

Uns dez minutos depois, chega um veículo com cara de trem e as palavras Izmir - Denizli na frente. Me animei, porque Denizli era a cidade final da rota que passava por Selçuk. Embarcamos.

O trem estava lotado. Ficamos de pé na passagem que liga os vagões. A sorte é que não estava tão quente como da última vez que não tinha lugar pra sentar (De Rothemburg para Frankfurt. Ah, seus alemães que vendem mais passagens do que assentos).

Dentro do trem, NENHUMA informação. O Leo sacou o tablet pra ver se o GPS nos dava uma luz, mas ele resolveu não funcionar. Aflitivo. Respiramos fundo e entregamos pro universo.

O fiscal do trem passou e aceitou nossas passagens, o que pelo menos significava que estávamos na rota certa. Aí a preocupação passou a ser desembarcar na estação certa. Na passagem estava escrito o horário de chegada, mas, como o trem estava atrasado, não dava pra confiar.

Depois de um tempo, descobrimos que as várias telinhas espalhadas pelo trem, que ficavam passando filmes abstratos, mostravam, sim, o nome da estação seguinte, em turco e em inglês. Mas era um letreiro que passava bem rapidinho, alguns minutos antes da parada, e sumia. O jeito foi ficarmos de olhos grudados na telinha mais próxima.

Tá vendo a telinha, ali  no meio do corredor?
Também havia um anúncio sonoro, mas estava difícil escutar (quem dirá entender) no lugar onde a gente estava.

Depois de pouco mais de uma hora, vimos "Selçuk" na telinha. Quando o trem parou, descemos felizes da vida, principalmente por termos economizado quase 80 euros (o transfer do hotel custava 40 por perna, e a gente pagou menos de 8 pelo trem de ida e volta). Valeu o perrengue.

Um comentário:

  1. E a aventura continua ,se nao fosse assim nao teria graça .continuem postando ,estou adorando acompanhar voces parabens pela coragem .

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...