Menu

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

A Coruña

Ou La Coruña. É que a grafia do título é em galego. Fizemos um bate e volta de Santiago até lá. A ideia era ir a algum lugar por perto com previsão de tempo que não fosse de chuva.

Para A Coruña, a previsão era sol com nuvens. O que no final se tornou um dia nublado. O que, para a região, é motivo de comemoração. Afinal, foi um dia inteiro sem chuva!

Documentando em foto o destino.
E a data. 
No final, a cidade é bem bobinha. Não achamos nada demais. Valeu mais pela super caminhada que fizemos pela cidade: 11 km. Sim, isso mesmo. Muitos quilômetros pela cidade, principalmente pela longa orla marítima. Em 2011, a cidade construiu um passeio na orla com mais de 13 km de extensão. É legal. Se tivesse pelo menos uma nesga de sol teria sido bem mais legal e bonito o passeio.

No mais, a cidade tem um minúsculo centro histórico interessante. Ruas estreitas e de pedestre que levam até uma praça central com um lindo prédio.

Já chegando no centro histórico. Achamos esse prédio legal. 
A praça Maria Pita. Sem dúvida a parte mais bonita do centro histórico. 
Que é minúsculo.

A principal atração da cidade é o Farol de Hércules, o mais antigo farol do mundo em funcionamento contínuo - quase 2000 anos. Tá certo que ele foi restaurado, modernizado e até refeito. Mas funciona desde o original romano.

O nome é por causa de uma das várias lendas locais. Uma delas dizia que na região havia um gigante que aterrorizava a população. Hércules apareceu e passou 3 dias lutando com o gigante até derrotá-lo. Em sua homenagem, foi construído o farol. Tanto que no brasão da cidade aparecem a torre e uma caveira em baixo. Seria a caveira do gigante.

Andamos muito no Paseo Maritimo.

Até o Farol de Hércules.

Outros detalhes de nosso passeio pela cidade: primeiro, sabemos ter andando 11 km porque finalmente baixamos um aplicativo para o tablet  para controle de exercícios físicos. Estamos adorando usá-lo para registrar nossos passeios.

Outro foi que finalmente entendemos os sinais de trânsito para pedestre. Em Santiago também é assim, sinais falantes. Quando ele abre, além de começar a apitar, ele fala para ajudar pessoas com dificuldades visuais. Em Santiago, a gente já tinha entendido "podem atravessar". Mas o que descobrimos em A Coruña é que ele fala antes o nome da rua! Super legal. Quem tem problema de visão escuta que o sinal abriu e de qual rua que abriu. Adoramos. Isso é que é pensar na população como um todo, né?

Nota 10 também para o sistema de transporte público. Sensacional o ponto de ônibus. Não só tem todas as informações de rota como tem painel eletrônico que mostra a distância e quanto tempo falta para todos os ônibus de todas as linhas passarem por ali. Legal que você pode até se planejar: "Ah, em 43 minutos vai passar o terceiro ônibus da linha tal. Dá tempo de fazer tudo que quero até lá!". Aprovadíssimo. Seria tão difícil assim termos isso em todas as cidades do mundo?

No mais, ir e voltar de trem a partir de Santiago é facílimo. 11,05 euros a ida e volta,  40 minutos de viagem. Viagem em trens confortáveis e rápidos, que chegam a 160 km por hora.  Na ida fomos em um trem direto. Na volta em um que parou em 3 cidades. Ambos foram rápidos e pontuais. 
A previsão meteorológica dizia que ia dar sol. 
Mas, como não choveu, a gente achou foi é bom. 
A água aqui deve ser gelada. 
A orla principal da cidade. 
Além deste monumento aos surfistas, vimos dois de verdade na água. 
Nada demais a orla principal. Não tem aquele ar de beira de praia. 
Tanto que os prédios na frente da praia não estavam lotados de restaurantes e bares. Pelo contrário. 
O centrinho histórico é bem pequeno. 
Mas a praça San Agustin é uma delícia. Cheia de estátuas...
... e desenhos no chão de pessoas e personagens famosas. 
Nossa super caminhada pela cidade.
Adorando este programinha para marcar a rota caminhada. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...