Menu

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

A procura por apartamentos em Brasília

Enquanto eu estudava, Lud procurava apartamentos para alugarmos em Brasília. Lendo um dos nossos antigos blogs, vimos que, da primeira vez que mudamos para cá, demoramos 10 dias para conseguir alugar e entrar no apartamento. Desta vez viemos com a intenção de reduzir e muito esse tempo.

Aprendemos com os erros passados. Saímos à procura desta vez munidos de protetor solar, garrafa de água, lista de apartamentos que realmente estão disponíveis para alugar e que nos agradam (nada de apartamentos que o anúncio existem mas o mesmo tinha "acabado de ser alugado" segundo a imobiliária). Ah, e demos preferências no primeiro dia para apartamentos com chave na portaria ou que o agente da imobiliária nos encontraria na porta.

O primeiro apartamento parecia muito promissor: valor total dentro do nosso limite orçamentário, excelente localização, tamanho perfeito segundo a metragem e fotos que indicavam um apartamento bem bonito. E chave na portaria. Que beleza!

Chegamos lá e começaram as decepções: o apartamento tem quartos minúsculos. Não tinha como colocar uma cama que não fosse encostada na parede. Ou seja, alguém ficaria "preso" na hora de dormir. Sério, nenhum dos dois quartos dava para colocar cama de casal, muito menos queen, com a cabeceira na parede e as laterais da cama livre. Um dos lados teria sempre que ficar grudado na parede. Imagina querer colocar um criado mundo do lado então?

Para piorar, a cozinha e a área estavam bem pior que nas fotos. Na verdade, um dos destaques das fotos da cozinha era uma bela coifa de metal. Na verdade o ex-morador levou a coifa embora. No local colocou o mais medonho, encardido, destruído e com fios para todos os lados Sugar que já vi na vida.

Outros pontos negativos: banheiro sem janela, apartamento com janelas pequenas e só de um lado do prédio. Nada de ventinho gostoso por ali.

O segundo apartamento foi o vencedor do dia. O agente nos recebeu na porta. Super pontual e muito simpático. Além disso, a localização do apartamento é boa, o preço excelente (menor valor de aluguel do dia), cozinha bem legal e banheiro muito bom - com janela de verdade! E o apartamento é de canto e vazado.

Já os defeitos incluem os 3 andares de escada sem elevador, a necessidade de pintar o apartamento inteiro antes de mudar e de trocar um armário de posição no quarto para caber a cama onde ela deve ficar. Pelo menos o armário não era embutido. E tanto ele quanto o do outro quarto são bem novos.

Mas pior mesmo é saber que  demoraria praticamente uma semana para ficar em condições de mudarmos. E ficar mais de uma semana na casa da Andreia, dormindo na cama dela enquanto ela dorme no sofá, não é uma opção. Somos abusados demais, não.

Após a segunda visita, iríamos ver mais 2 na mesma quadra. Só que o primeiro, que parecia bem legal pelas fotos, não podia receber visitas no dia. Nem no seguinte. Os antigos moradores estavam fazendo a mudança nessas datas. Isso explicava as ótimas fotos do apartamento, mobiliado, que permitiam que a gente visse que o quarto era tudo de bom em relação ao tamanho.

O outro, o corretor nos encontraria na porta. A imobiliária é bem perto. Pediu para ligarmos um pouco antes. Ligamos e para nossa surpresa ele não poderia aparecer. Estava em Goiânia. Olha que tínhamos marcado com ele por telefone 2 dias antes. Custava ter avisado? Pelas fotos seria o apartamento mais top do dia. Logicamente o mais caro também. No limite perfeito do orçamento que definimos.

Restava apenas mais um da lista do primeiro dia. 310 sul, lá fomos nós. Chave na portaria. Chiquérrima por sinal. Prédio lindão, porteiro, pessoal da limpeza, hall nos trinques, elevador reformado. Aí chegamos no apartamento e qual a nossa surpresa? Parecia muito melhor nas fotos. Fora a questão do tamanho. Mais um com quartos onde não cabe uma cama de casal. Além disso, o banheiro era bem medonho. Escuro com força e sem janela - só aqueles vãos para o miolo do prédio.

O saldo do dia foi bem pior do que imaginávamos. Mas, como relembrar é viver, resolvemos almoçar no antigo restaurante perto da nossa casa antiga. Comidinha conhecida e gostosa animou um pouco os ânimos. Ser reconhecidos pela dona do local também. De lá, resolvemos voltar no nosso antigo prédio da 104 sul. Quem sabe o nosso antigo apartamento estava alugando e por um preço camarada? Quem não arrisca não petisca!

Não, não estava. Mas nosso antigo porteio está lá ate hoje. Nos reconheceu e contou de um outro apartamento para alugar, no quinto andar do prédio. Chave na portaria. Sorte né? Fomos lá ver.

Olha, não era mais bonito que o mais barato do dia. Mas já tinha a cozinha mobiliada com todos os eletrodomésticos que precisaríamos, menos uma máquina de lavar roupa. A sala já tinha sofás. O banheiro estava reformado e é amplo e bonito. Preço? Só com a proprietário. Pegamos o telefone e ligamos. Afinal, sabemos que o local é maravilhoso para morar em Brasília. Porém o preço estava acima do nosso limite. Não muito. Talvez desse para negociar. Resolvemos deixar o apartamento como uma opção de reserva, caso nada desse certo.

Resumo do dia: não ficamos tão felizes como esperávamos ficar. Mas amanhã o dia promete mais. Vamos ver um já mobiliado com um preço muito bom, bem localizado e que na teoria estará pronto para mudar.

Quarto na foto parece bom. Mas tenta colocar uma cama de casal nele para ver.

2 comentários:

  1. Tadinhos! Procurar apartamento é horrível. Pra mim, o pior é a enrolação das imobiliárias. Vc coloca uma lista de requisitos, e a primeira coisa que eles fazem é te apresentar candidatos SEM as qualificações...

    ResponderExcluir
  2. Tadinhos! Procurar apartamento é horrível. Pra mim, o pior é a enrolação das imobiliárias. Vc coloca uma lista de requisitos, e a primeira coisa que eles fazem é te apresentar candidatos SEM as qualificações...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...