Menu

sábado, 27 de fevereiro de 2016

China: custos e impressões

A bucólica Zhujiajiao. Valeu a pena sair da zona de conforto para ir para lá. 

Quanto tempo ficamos: 18 noites. 6 em Pequim, 1 em um trem, 2 em Xi An, 4 em Xangai, 1 em Macau e 4 em Hong Kong
Quando fomos: 10 a 28 de março de março de 2014
Média hospedagem: 23,42 euros por pessoa/dia
Média alimentação: 5,85 euros por pessoa/dia
Média atrações: 4,74 euros por pessoa/dia
Média transporte urbano:   2,78 euros por pessoa/dia

De onde e como viemos: Voamos pela Turkish Airlines de Nice para Pequim com escala em Istambul.

Voo para lá de longo. Imagino que, saindo do Brasil, seja barra pesada chegar à China. Mas demos sorte: como fizemos o check-in do voo mais longo em Nice bem mais cedo, conseguimos voar na espaçosa saída de emergência. 

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Keukenhof: muitas fotos

Mais fotos do parque e do lindo campo de tulipas que fica em frente ao estacionamento dele. Boas lembranças de maio de 2014.




terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Bulgária: custos e impressões

A enorme e linda catedral de Alexandre Nevsky em Sofia. Por dentro é muito bonita. Pena que não pode tirar fotos. 
Quanto tempo ficamos: 8 noites. 4 em Sofia, 2 em Plovdiv e 2 em Veliko Tarnovo
Quando fomos: 12 a 20 de maio de 2014
Média hospedagem: 14,83 euros por pessoa/dia
Média alimentação: 4,01 euros por pessoa/dia
Média atrações: 1,87 euros por pessoa/dia
Média transporte urbano: 1,65 euros por pessoa/dia

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Coreia do Sul: Custos e impressões

Quanto tempo ficamos: 4 noites, todas em Seul.
Média hospedagem:   33,63 euros por pessoa/dia
Média alimentação:   6,36 euros por pessoa/dia
Média atrações:   2,67 euros por pessoa/dia
Média transporte urbano:   34,52 euros por pessoa/dia (aluguel de carro + combustível)

De onde e como viemos: Voamos de Hong Kong para Seul pela Jin Air

É a low cost coreana com sede em Seul. Muito boa. Mas foi salgado. 168 euros para voas de Hong Kong para Seul. Ir direto para o Japão seria mais em conta. Só que queríamos aproveitar que já estávamos perto para conhecer a Coreia. 

Procedimento de fronteira: Nada. Desce no aeroporto, pega sua mala e vai embora.

Duração: 3 hora e 10 minutos de voo.

Hospedagem SeulApartamento airbnb. 45,25 euros por dia. Um achado! Recomendamos demais.

Para onde e como fomos: Voamos para Osaka no Japão, de onde pegamos o ônibus para Kyto!

Procedimento de fronteira: Portugueses não precisam de visto nem nada. Eu tive que tirar em Lisboa o visto para o Japão. Tem data de validade e é cheio das restrições. Mas uma vez emitido, a imigração é rápida e eficiente. Como tudo no Japão.

Língua e comunicação: Coreano. Difícil de falar e entender algo. A língua é mais cantada que o chinês, mas com leitura e escrita absurdamente mais fáceis. Eles não usam ideogramas: têm um alfabeto fonético de 24 caracteres que é considerado um dos mais lógicos do mundo. Conhecemos só Seul. Nem todo mundo fala inglês. Mas algumas pessoas falam. E dá para se virar bem. Provavelmente no resto do país deve ser um pouco mais difícil de se comunicar em inglês.

Custo total: 34,52 euros por pessoa/dia. Agora, tivemos ainda o custo para voar de Hong Kong para Seul e depois voar para o Japão. Foram mais 250 euros por pessoa.

Transportes: Só andamos de metrô. E é muito, muito bom. Fácil, confortável e bem moderno.

Nota Leo para o país: 7.0/10

Nota Lud para o país: 3.5/10

Índice LudLeo de facilidade de viajar por conta própria: 7.5/10. Fácil mas difícil de chegar. Muito longe né? Apesar de ficarmos apenas em Seul, vimos que é fácil viajar pelo resto do país. Muitas opções de transporte e com muita informação na internet. A língua pode atrapalhar um pouco.

Voltaríamos? Leo: Dificilmente. Muito longe. E se for para ir para aquele lado do mundo, ainda tenho muito que quero ver. Fora a China que ainda quero explorar mais. Agora, se inventarem o teletransporte ou me mandarem trabalhar lá, volto sem problemas.

Recomendado para: Para quem quer visitar muitos, muitos museus. Não imaginava; Mas Copenhague tem uma variedade de excelentes museus. Além claro de conhecer um dos melhores locais do mundo para se viver.

ImpressõesSeul não é um destino para lá de turístico, mas foi interessante conhecer mais um país asiático. Principalmente para ver que, apesar da dominação japonesa e da influência chinesa, a Coreia tem suas tradições e cultura próprias. 

A Coreia foi um ótimo aquecimento para as cerejeiras do Japão. Vimos muitas ameixeiras e abricozeiras.

Não dá para falar do resto do país. Mas se Seul servir de cartão de visitas, é um lugar fácil de viajar, seguro, moderno e já bem ocidentalizado, mas ainda com muitas tradições e forte cultura local com influência chinesa. 

Seul não tem uma atração turística famosa ou um evento mundialmente conhecido, mas a cidade é para lá de agradável. É difícil de explicar: pode ter sido a tremenda organização, os prédios charmosos, ou o fato de os lugares serem um pouco menos cheios do que na China.

Para não falar que Seul não tenha seus cartões postais turísticos, há vários palácios restaurados. São parecidos com os chineses, mas bem mais sóbrios - embora nem por isso menos interessantes. De Seul é possível fazer um passeio até a região mais militarizada do mundo, a fronteira com a Coreia do Norte. Ironicamente, ela é chamada de DMZ (Demilitarized Zone - zona desmilitarizada). Pensamos em conhecer mas mudamos de ideia. Achamos que seria besta, caro e daria para usar o tempo em atrações mais  pacíficas.

Só sei que passamos três dias muito bons na cidade. O primeiro esteve nublado, e rolou uma garoa quase imperceptível. Já no segundo e terceiro dias, tivemos um lindo céu azul. Apesar do tempo bom, a variação climática foi uma loucura. As temperaturas foram de 10 a 26 graus no mesmo dia.

É inegável o fato de que ver belíssimas árvores de abricó e de ameixa em flor (as flores são iguaizinhas à de cerejeira - nem os locais sabem a diferença) ajudou muito a gente a gostar da cidade. Tanto que tiramos pencas de fotos, cada uma mais bonita que a outra. E ficamos animados com a perspectiva de vermos ainda mais flores no Japão.

Outro fator que contribuiu para nossa satisfação foi nosso apartamento, fofo e confortável. Pequeno mas muito funcional, com todos os luxos e mimos possíveis. Foi um dos melhores que já ficamos até hoje, principalmente se compararmos com outros do mesmo tamanho.

Ter ao lado de casa um complexo com estação de trem, estação de metrô e um supermercado gigantesco também ajudou. O supermercado vendia muitos produtos locais - exóticos para nós - e muitos produtos ocidentais - exóticos para os coreanos. Inclusive caramelos Embaré, fabricados em Lagoa da Prata, em Minas! Compramos tantos pacotinhos que fizemos o estoque baixar.

Se bobear, tivemos mais dificuldades de comunicação em Seul do que na China. Lógico que encontramos pessoas que falam inglês, mas bem menos que eu esperava. Em contrapartida, achei o pessoal daqui menos receoso de conversar conosco do que os chineses.

Vira e e mexe alguém pedia para a gente tirar foto deles. O que foi ótimo, pois a pessoa sempre quer retribuir o favor. Teve um coreano que foi ao delírio ao saber que éramos do Brasil. Enumerou várias cidades do Brasil que gostaria de conhecer, de Brasília a Belo Horizonte. Sim, até nossa BH tava na lista dele. E ele não parou por aí, não. Gastou um bom tempo se despedindo, falando "bom dia! obrigado!", e nomeando os outros países que quer conhecer. Foi muito legal.


sábado, 13 de fevereiro de 2016

A linguagem universal do turismo

Muita gente se preocupa em viajar para o exterior e não conseguir se comunicar. Para ser totalmente sincera, eu estudei inglês por um montão de anos e, portanto, geralmente me viro bem (já que o inglês é a língua universal do turismo). Mas nem sempre: tem horas que o Leo, que só teve inglês no colégio e depois aprendeu sozinho vendo filme (e trabalhando com TI), entende muito melhor que eu. E é entendido melhor também: eu fico criando frases elaboradas com tempos verbais complexos, e ele diz em poucas palavras o que quer.

E tem momentos em que a gente não conhece a língua e pronto. Como quando a bateria do carro alugado arriou - em Bruxelas - e o mecânico só falava alemão (tiramos um "wagen - de Volkswagen, o carro do povo - e um "kaput" do fundo da alma) e um pouco de francês. Ou em Budapeste, quando fugimos do guia na hora do almoço e fomos cair em uma padaria. As moças, simpaticíssimas, falavam húngaro, claro. Fizemos negócio na base de apontar pãozinho e mostrar a quantidade nos dedos.

A moral da história é: se você conhece a língua do país que está visitando, ou inglês/espanhol/francês, você está bem. Mas se não souber, não é caso de deixar de viajar. Lugares turísticos estão preparados para receber turistas - e, de maneira geral, se esforçam para entender a gente. Sorrisos, gestos e umas palavras-chave (que você nem precisa dizer, pode mostrar em um dicionário básico) levam o turista longe. Aprender as saudações locais e usá-las muito ("Hello", "Bonjour", "Buon Giorno") também ajuda.

Além disso, todo mundo passa uns apertos - ou cai numas roubadas, como quando vi um anúncio na porta da igreja em Salzburgo que dizia "Musik Konzert - frei". Traduzi imediatamente como concerto musical grátis (free), e arrastei o Leo, às 10 da noite, num frio lascado, para assistir a uma missa com música... gravada.

Ah, e tem garçons e vendedores que são grossos mesmo, no mundo todo. Não leve pro lado pessoal.

As 10 mais caras estadias do ano

198 LMSM
108 Estocolmo
95,25 Dublin
84,86 Londres
83,70 Oslo
83 Edinburg
74 Helsinki
74 Verona
73 Honfleur
73 La Rochelle
68,67 Mestre
68,67 Florença
68,14 Berlin

11,24 Hue
16,50 Saigon
16,50 Siem Reap
17,14 Atenas
18 Hanoi
20,23 Hoi An
21 Chiang Mai
25 Phnon Pehn
25,64 Kuala Lumpur
27,34 Budapest

Resumão transportes pelos países bálcãs

Sofia para Plovdiv: Viagem de trem.
Data Viagem: 16/05/2014
Saída 08:20
Chegada: 11:10
Custo: 6,17 euros
Classe: primeira
Compra: 1 dia de antecedência
Obs: Dá para comprar no dia tranquilo. Principalmente primeira classe. E compensou demais. A diferença era pequena e a segunda classe era bem mais apertada e estava cheia. Muito espaço para pernas e para bagagem na primeira classe. Segunda classe tive a impressão que o espaço para a bagagem era bem reduzido.

Plovdiv para Veliko Tarnovo: viagem de minibus.
Data Viagem: 18/05/2014
Saída: 08:30
Chegada: 11:50
Custo: 10,46 euros
Classe: não há
Compra: Na hora do motorista. Não tinha como comprar com antecedência. Van não saiu lotada.
Obs: Bem apertada. Pode ser que na alta temporada o ônibus seja maior. Para várias vezes pelo caminho para deixar e pegar pessoas. Espaço para bagagem é reduzido. Bom chegar cedo para além de garantir lugar no ônibus, garantir para as bagagens.

Veliko Tarnovo para Bucareste. Primeiro fomos de taxi para a cidade de Gorna de onde pegamos o trem. Custou 4,5 euros o táxi. Tranquilo e confiável.
Data Viagem: 20/05/2014
Saída: 11:58
Chegada: 17:15
Custo: 14,58 euros
Classe: segunda. Só tem esta opção.
Compra: Antecedência na loja que fica no prédio do correio no centro de Veliko Tarnovo. Daria para comprar na hora em Gorna sem problemas. Trem foi bem vazio.
Obs: Apesar de simples, a estação de Gorna tem free wifi e uma boa lanchonete. Fronteira foi rápida e sem incidentes em ambas cidades. Apesar de agendado para chegar às 17:15, atrasou 45 minutos. Praticamente todo o atraso foi na Romênia. O trem que sai de Gorna vai para város destinos depois de Ruse. Alguns vagões até para a Rússia vão. Os fiscais do trem ajudam a não pegar o vagão errado. Trem é bem antigo e sem ar condicionado. Algumas janelas não abriam. No verão deve ser complicado a viagem. Mas os assentos eram confortáveis e espaçosos. Muito lugar para bagagem.

Bucareste para Brasov
Data Viagem: 24/05/2014
Saída:
Chegada:
Custo: 10,48 euros
Classe: segunda
Compra: quando chegamos em Bucareste vindos da Bulgária
Obs: Vale a pena comprar o quanto antes as passagens para deslocamentos mais longos na Romênia. Os descontos são proporcionais ao número de passageiros, ao dia da semana e a antecedência da compra. Viagem foi muito boa. Vagão era relativamente novo e com bastante espaço para pernas e bagagem. Estava praticamente cheio nosso vagão.

Ida e volta de Brasov para Bran de ônibus
Data Viagem: 26/05/2014
Saída:
Chegada:
Saída:
Chegada:
Custo: 3,22 euros
Classe: não há
Compra: na hora, do motorista.
Obs: Bom ônibus, bastante espaço, longe de encher, estrada boa e tranquila, bonitas paisagens. Muito fácil de ir para Bran de ônibus. O ponto final do ônibus não é em Bran. Mas é impossível de errar onde descer. Para voltar para Brasov é só pegar o ônibus em frente de onde desceu.

Ida e volta de Brasov para Sinaia
Data Viagem: 27/05/2014
Custo: 4,02 euros a ida  e 1,61 euros a volta.
Classe: segunda.
Compra: Na hora. Dá para comprar com antecedência mas não compensa. O trem da volta era ainda mais barato. Foi um dos que a passagem é adquirida já dentro do trem do fiscal. Esta trem nem no site da companhia de trens da Romênia aparecia.
Obs: Viagem tranquila e rápida. Da estação de trem até o palácio de Peles é uma caminhada longa e bem inclinada. Recomendo táxi ou o ônibus que vai para o teleférico e para bem perto do castelo. Como fizemos a pé não dá para dizer os custos. Voltar a pé é bem tranquilo.

Brasov para Sighisoara de trem.
Data Viagem: 28/05/2014
Saída: 08:45
Chegada: 11:10
Custo: 8,52 euros
Classe: segunda
Compra: Na estação de Bucareste quando chegamos.
Obs: Vale a pena comprar o quanto antes as passagens para deslocamentos mais longos na Romênia. Os descontos são proporcionais ao número de passageiros, ao dia da semana e a antecedência da compra.  Trem regional mais antigo. Mesmo assim bem mais confortável que um ônibus no quesito espaço para as pernas. Não estava cheio. Da estação de Sighisoara para um hotel no alto da cidade antiga é recomendado um táxi. Barato e confiável. Nosso custou 1,84 euros.

Sighisoara para Sibiu
Data Viagem: 30/05/2014
Saída: 11:15
Chegada: 14:13
Custo: 4,30 euros
Classe: segunda
Na estação de Bucareste quando chegamos.
Obs: Vale a pena comprar o quanto antes as passagens para deslocamentos mais longos na Romênia. Os descontos são proporcionais ao número de passageiros, ao dia da semana e a antecedência da compra. É necessário trocar de trem em Medias. Foram os dois trens mais antigos e lentos que pegamos na Romênia. Tanto que perdemos a conexão em Medias e tivemos que esperar até 15:45 para pegar o próximo. Este também atrasou bastante. Ambos trens vazios, bom espaço para pernas mas não tanto para bagagem. Porém, estando os trens vazios, local para colocar bagagem não foi problema. Em Sibiu é tranquilo ir a pé da estação para o centro e vice versa. Usamos um táxi no dia que chegamos por causa da chuva. Custou
1,80 euros.

Sibiu para Timisoara
Data Viagem: 01/06/2014
Saída: 15:46
Chegada: 22:40
Custo: 21,00
Classe: primeira
Compra: Na estação de Bucareste quando chegamos.
Obs: Vale a pena comprar o quanto antes as passagens para deslocamentos mais longos na Romênia. Os descontos são proporcionais ao número de passageiros, ao dia da semana e a antecedência da compra. Trem foi extremamente pontual. Primeira classe foi muito confortável, excelente espaço para pernas e bagagem e vazia, o que permitiu até deitarmos cada um usando dois assentos. Recomendamos a primeira classe até porque a diferença não foi grande mas o conforto sim. E a viagem é longa. Praticamente 7 horas.

Timisoara para Belgrado: transfer de van entre as duas cidades.
Data Viagem: 02/06/2014
Saída: 10:20
Chegada: 13:00
Custo: 20 euros
Classe: não há
Compra: reserva pela internet usando a empresa www.geatours.rs. Pagamento na Van para o motorista em euros.
Obs: Van muito confortável, mesmo se estivesse cheia, o que não foi o caso. Cabem 8 passageiros, coma gente éramos 4. Muito espaçosa e nova. Trem teria custado 11 euros para os trechos Timisoara Vrsac e Vrsac Belgrado. A Van nos deixou na porta do nosso apartamento de Belgrado, nos economizando o transporte por lá. Viagem muito tranquila. Fronteira sem incidentes e rápida.

Ida e volta de Belgrado para Navi Sad
Data Viagem: 04/06/2014
Saída: 10:15
Chegada: 11:40
Saída: 15:17
Chegada: 16:45
Custo: 4,10 euros
Classe: segunda
Compra: Na hora.
Obs: Trem antigo na ida, menos antigo na volta. Bem pontual, conforme a agenda fixada nos cartazes da estação.

Belgrado para Nis
Data Viagem: 06/06/2014
Saída: 07:50
Chegada: 15:30
Custo: 7,80 euros
Classe: segunda
Compra: dia anterior. Daria para comprar no dia da viagem. Foi enchendo pelo caminho mas saiu com bastante espaço.
Obs: Saiu no horário. Mas era para chegar 11:55. Atrasou demais. Viagem nada a ver com a do dia anterior para Novi Sad. A do dia anterior foi propaganda enganosa. Não recomendamos de jeito nenhum a viagem. Além do atraso absurdo, tod mundo fumou dentro do trem. Parecia uma maria fumaça.

Nis para Skopje
Data Viagem: 08/06/2014
Saída: 08:10
Chegada: 12:50
Custo: 12,50 euros
Classe: não há
Compra: No dia anterior. Daria para comprar na hora.
Obs: Só entra na estação de Nis quem tem passagem comprada. É necessário passar a mesma no leitor de código de barra para passar na catraca. Viajamos com a empresa Nis Express. Ônibus muito confortável e espaçoso. Na hora do embarque é necessário pagar 60 dinares sérvios para cada mala despachada. Nem metade dos assentos ocupados. Parou 5 vezes antes de Skopje. Quase todo mundo desceu antes. Foi pontual até a fronteira onde gastou bem mais tempo que o esperado pela empresa. Tanto que só chegamos em Skopje às 13:50. Além da fila da fronteira, a polícia da Macedônia estava verificando bagagens. Mas foi só demorado. Não tivemos nenhuma dificuldade ou incidente. Durante nosso período na Sérvia, ficamos em apartamentos alugados. E não fizemos o nosso registro na polícia que é o procedimento padrão no país. Na saída não nos foi pedido o documento de registro.

Skopje para Ohrid
Data Viagem: 11/06/2014
Saída: 11:00
Chegada: 14:00
Custo: 7,74 euros
Classe: não há. Fomos pela empresa
Compra:
Obs: Era uma van muito pequena e apertada. Foi lotada. A empresa chama Klasik Kompany. Muito calor e nada de ar condicionado. Para piorar, começou a chover no meio da viagem e o teto solar foi fechado porque caia água dentro da van. Depois que a chuva passou, o teto solar não abria mais. Quase cozinhamos nos últimos 30 minutos. A viagem até a cidade de Tetovo tem uma ótima estrada com pedágio. Dali para a frente a estrada afina muito e começa a ter vária curvas, principalmente entre Gostivar e Kicevo.

Ohrid para Berat com troca de transporte em Elbasan
Data Viagem: 14/06/2014
Saída: 04:30
Chegada: 07:00 e Elbasan
Custo: 9,5 euros
Classe: Van muito nova e confortável. 
Compra: A passagem até Elbasan foi comprada com um dia de antecedência na agência de turismo Travel & Tourist Center Vis Poj. Era a van que ia de Struga para Tirana. Só que como a moça da agência vez a reserva para nós, não precisamos sair de Struga. A Van iria nos pegar no ponto de Ônibus na avenida principal de Ohrid. Para completar o motorista nos deixou na estação de Elbasan de onde saem os furgões para Berat. 
Obs: A viagem de Ohrid até Elbasan foi excelente. Só tinham nos dois na van. Era uma van muito nova e para lá de confortável. Mesmo se estivesse cheia seria tranquilo. A fronteira foi muito simples, só passamos os passaportes para o motorista e ele resolveu tudo. Logo depois da fronteira a vista da estrada é sensacional de maravilhosa. Chega-se no alto da montanha e começa a descer até o vale. Muitas curvas mas ficamos surpreso com a qualidade da estrada.
Saída de Elbasan: 08:00
Chegada: 11:00 em Berat
Classe: van antiga, os chamados furgões na Albânia. Sai quando enche ou o motorista acha que está bom.
Custo:
Já de Elbasan para frente, van antiga, apertada, lotada e com a pior estrada da viagem. Demorou e muito. Muita obra na estrada. Sinal que no futuro vai melhorar. E a obra atrasou bastante a viagem, porque muitos trechos a pista ficou mão única e só passava um carro por vez. E como a van parou demais para deixar e pegar pessoas, ajudou a tornar a viagem longa. A vantagem do pare e anda é que cada vez que abria a porta ajudava a refrescar um pouco, já que a van não tinha ar e as janelas não abrem. Importante: no meio de maio a estação de ônibus nova de Berat entrou em funcionamento. Os ônibus e furgões não entram mais na cidade. Param nesta estação que fica a mais ou menos 2 km do centro da cidade.

Berat para Tirana
Data Viagem: 16/06/2014
Saída:
Chegada:
Custo:
Classe:
Compra:
Obs:

Tirana para Ulcinj
Data Viagem: 18/06/2014
Saída:
Chegada:
Custo:
Classe:
Compra:
Obs:

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Ganhou na mega-sena e quer fugir do mundo? Algumas dicas de destinos

Recebeu uma bolada e quer mudar radicalmente de vida? Decidiu sumir e nunca mais ser encontrado pelos conhecidos e "amigos do peito"? Ficam aqui algumas dicas.

Que tal se esconder no paraíso que é uma ilha grega? Hydra é uma ótima opção. 

Vista da ilha grega de Hydra com barcos e casas
Chegando a Hydra.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

De árvore a pássaro

Acho que, desde pequeno, tenho vocação para ser pássaro: uma pessoa que não cria muitas raízes e que está sempre querendo voar para outro canto. Quando eu e a Lud nos conhecemos, eu já tinha mudado de cidade duas vezes, e de casa, cinco.

Lud já foi uma sequoia bebê. 

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016