Menu

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Montenegro: custos e impressões

Quanto tempo ficamos: 8 noites. 3 em Ulcinj e 5 em Kotor.
Média hospedagem: 26,37 euros por pessoa/dia
Média alimentação: 5,9 euros por pessoa/dia
Média atrações: 0! euros por pessoa/dia
Média transporte urbano: 0,31euros por pessoa/dia

De onde e como viemos: Tirana na Albânia para Ulcinj em Montenegro.

Pegamos um furgão de rua que custou 2,85 euros por pessoa de Tirana até Shkoder, cidade albanesa na fronteira com Montenegro. De lá pegamos um micro-ônibus com custo de 4 euros para chegar em Ulcinj. Ambos transportes podem ser pagos em moeda local ou euro. Todas as passagens são compradas na hora, dentro do transporte. Não existe opção de comprar com antecedência.

Duração: 3 horas e 30 minutos, incluindo o tempo de imigração.

Procedimento de fronteira: Foi rápido - uns 20 minutos. O ônibus furou a longa fila de carros (preferência para transporte coletivos!); nosso motorista desceu com os passaportes dos passageiros, entrou numa cabine, saiu para fumar um cigarrinho, retornou e pronto, liberados para entrar em Montenegro.

Hospedagem Ulcinj: Hotel Apartmani Corona

Hospedagem Kotor: apartamento alugado no site do airbnb.

Informações de ambas estadias aqui. 

Para onde e como fomos: Kotor para Dubrovnik na Croácia.

Ônibus direto de Kotor para Dubrovnik. Demorou 3 horas e 30 minutos contando com o tempo da fronteira, que foi longo. A viagem é ótima, a paisagem linda tanto em Montenegro como na Croácia. A estrada é estreita, com muitas curvas mas muito bem sinalizada e de ótima qualidade. Custou 14 euros por pessoa.

Procedimento de fronteiraDo lado de Montenegro, um dos três funcionários do ônibus pegou os passaportes, desceu e logo depois voltou com tudo liberado. 

No controle de fronteira da Croácia a coisa é mais demorada: desce um por um do ônibus, vai pessoalmente na cabine de controle, tem o passaporte verificado e é liberado, devendo andar para frente onde deve-se esperar o ônibus. Meu caso não demorou 1 minuto. O da Lud com passaporte português nem 10 segundos. Algumas pessoas demoraram mais. Enquanto espera os outros passageiros, tem a opção de brincar com os gatinhos que moram por ali.


Língua e comunicação: A língua falada por todos é o montenegrino. Mas nos comunicamos o tempo todo em inglês e em tudo que é lugar. Muito fácil a comunicação.

Custo total: 35,45 euros por pessoa/dia. O que ajudou a manter os baixos custos foram as refeições feitas em casa, principalmente em Kotor e não termos gasto nada em atrações turísticas.

Dá para ver no mapa que ainda temos muito para explorar desse ótimo país. 
Transportes: Bem melhores que a Albânia. Sem comparação. Ainda não é padrão Europa Ocidental mas muito perto. Ônibus não tão antigos, belas janelas panorâmicas, bom espaço. Não usamos transporte dentro das cidades. Em Ulcinj pegamos um táxi quando chegamos para irmos ao hotel. Foi tranquilo, barato e confiável. Na volta o dono do hotel nos deu carona.


Nota para o país: 9.0/10

Índice LudLeo de facilidade de viajar por conta própria: 8/10

Voltaríamos? Leo: Definitivamente. O país ainda tem muito que quero explorar; Mais cidades na costa, mais cidades à beira dos lagos, monastérios nos altos das montanhas, um famoso parque com um cânion e muito mais. Fora que para Kotor volto quantas vezes der. Conseguiu ser ainda mais belo que Ohrid na Macedônia.

Recomendado para: Quem gosta de lugares que estão começando a ser o novo centro do turismo Europeu. Alemães, Holandeses e a galera dos países Nórdicos estão deixando um pouco outros destinos para explorar Montenegro. E está aí uma lista de turistas espertos, que conhecem a Europa como poucos e sabem explorar os bons lugares antes deles ficarem caros e cheios demais. Seja esperto também e faça como eles.

ImpressõesForam 8 noites com gostinho de quero mais. E só 2 cidades conhecidas: Ulcinj, bem ao sul, perto da Albânia, e Kotor, no meio da costa. Ou seja, difícil falar sobre o país. O que dá para falar é: o que vimos é muito lindo.

Ulcinj não é nada demais. Foi um local legal para relaxar e tentar curtir o mar, mas a água estava muito fria e mais da metade do tempo por lá foi de chuvas. Acabou que o que mais gostamos de lá foi comer, bem e muito barato ainda.

Já Kotor... Que lugar divino. Foram 5 dias. Infelizmente o último foi de chuva incessante. E com isso, os planos de conhecer outros destinos foram literalmente por água abaixo. É que nos dias anteriores, quando tentamos passear de barco para ir a outras cidades, chegamos muito em cima da hora e o único barco que tinha já estava lotado.

Mas dá para falar também das vistas sensacionais que tivemos durante as viagens de ônibus. A costa é muito bonita. E o mais legal é que o país é muito montanhoso - montanhas bem altas que chegam praticamente dentro do mar. Sei que fomos embora com vontade de voltar para ver cidades pelas quais só passamos, como Budva, a quase ilha de Sveti Stefan, Perast e várias outras que vimos pelos caminhos. Sem dúvida foi, em termos de beleza natural, um dos países top da Europa. Talvez só a Noruega consiga ganhar - mas os preços em Montenegro são muito melhores! Vou até fazer um elogio que é o maior que um país pode receber: me lembrou a Nova Zelândia, o lugar mais lindo do mundo para mim até agora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...